ARTIGO

Qualidade do ar: tecnologia calma, visualização de dados e engajamento cidadão

O artigo apresenta o desenvolvimento de um sistema de visualização de dados relativos à qualidade do ar na cidade do Rio de Janeiro. O projeto fundamenta-se na proposta de Tecnologia Calma de Weiser e Brown (1996), e o sistema de visualização de dados desenvolvido segue os princípios dos Sistemas de Informação Ambiente. A visualização de dados é tratada como ferramenta de empoderamento, numa perspectiva de propiciar a discussão e o engajamento do cidadão no contexto das Cidades Inteligentes. O projeto utiliza uma metodologia orientada pela experimentação e prototipação, mantendo ciclos sucessivos em que cada protótipo produzido é analisado criticamente, gerando subsídios para a versão seguinte. Parte-se de uma discussão sobre os conceitos de Tecnologia Calma, Sistemas de Informação Ambiente e Cidades Inteligentes, para em seguida descrever o desenvolvimento do sistema de visualização de dados, discriminando os processos envolvidos, tecnologias empregadas, os partidos adotados e resultados obtidos.

segunda-feira, 19 de novembro de 2018

Leia este artigo

PALESTRA

Qualidade do ar: tecnologia calma, visualização de dados e engajamento cidadão

Apresentação realizada no P&D Design 2018, em Joinville, sobre a pesquisa desenvolvida em 2016 na Escola Superior de Desenho Industrial. Propomos o desenvolvimento de um sistemas de informação ambiente com dados sobre a qualidade do ar na cidade do Rio de Janeiro.

segunda-feira, 19 de novembro de 2018

Veja esta palestra

ARTIGO

O espectador e sua atenção indeterminada: notas sobre os níveis de atenção do espectador no espaço expositivo

O artigo analisa a relação da atenção com a atividade espectatorial, considerando os conceitos de computação ubíqua e os códigos e meios propostos no espaço expositivo
contemporâneo. A partir da análise de artefatos tecnológicos elaborados para oferecer ao público experiências de interação com a arte,desenvolve-se uma reflexão sobre o uso da
atenção do espectador em espaços expositivos. Ao observar como o espectador percorre o ambiente expositivo hoje em dia, é comum notar que a tecnologia está bem próxima da atividade contemplativa. O embasamento teórico se desenvolve a partir de estudos sobre a tecnologia calma (Weiser e Brown, 1996) e suas correlações com a atenção do espectador

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Leia este artigo

ARTIGO

Sistemas de Informação Ambiente: leitura e engajamento nas cidades inteligentes

Artigo sobre Sistemas de Informação Ambiente como uma ferramenta para repensar a participação dos citadinos no desenho das cidades. Publicado no livro Urbanidades: mediações, organizado pelos colegas Rogerio Camara e Fatima Aparecida dos Santos, da Universidade de Brasília.

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Leia este artigo

PALESTRA

Sistemas de informação ambiente e o design da cidade

Palestra apresentada na Campus Party Brasil de 2015, em São Paulo, sobre Sistemas de Informação Ambiente e seu papel no empoderamento do cidadão de modo que possa influir no desenho da cidade. A apresentação fez parte do painel sobre Visualização de Dados da Campus Party.

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Veja esta palestra

ARTIGO

Design de interação e computação pervasiva: um estudo sobre mecanismos atencionais e sistemas de informação ambiente

Tese apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Design da PUC-Rio como requisito parcial para obtenção do grau de Doutor em Design. Investiga os diferentes mecanismos atencionais envolvidos na utilização de sistemas de informação ambiente. Para tanto, conceitua e delimita a “computação pervasiva” – a partir da qual componentes computadorizados passam a compor o ambiente e os objetos do cotidiano –, e discute as conseqüências do uso desta tecnologia, no que se refere aos impactos sociais, implicações ambientais, questões de segurança e privacidade, destacando o papel do design nessa problemática. Apresenta a evolução do design de interação, explicitando sua relação com o projeto de mídias interativas. Propõe ampliar o campo de atuação do design de interação, considerando que a tela do computador deixou de ser a principal interface com o ambiente digital, e que o projeto da interação no contexto da computação pervasiva exige uma abordagem sistêmica. Apresenta o conceito de tecnologia sem estresse (calm technology), de Weiser e Brown (1996), e aprofunda a discussão iniciada por estes autores sobre a necessidade de se projetar sistemas de informação que atuem na periferia de nossa atenção, com base nos estudos da Psicologia Cognitiva sobre mecanismos atencionais. Destaca os sistemas de informação ambiente como aqueles que mais se apropriam da idéia de apresentar informações sem exigir o foco de nossa atenção. Analisa doze sistemas de informação ambiente, investigando o modo como envolvem os mecanismos atencionais. Conclui que a definição original de Weiser e Brown (1996) não é suficiente para descrever a miríade de processos envolvidos com a captação da atenção, e aponta linhas mestras para o design de sistemas de informação ambiente, de maneira a considerar a dinâmica entre os diferentes mecanismos atencionais, o contexto de uso, o grau de engajamento do usuário, a influência da memória e a capacidade de habituação aos sistemas de informação.

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Leia este artigo

ARTIGO

Designing for the periphery of our attention: a study on Ambient Information Systems

This paper discusses a specific category of information systems known as Ambient Information Systems. These systems present information in a non-intrusive manner, acting mostly on the periphery of our attention, following Mark Weiser’s concept of calm technology.

The major concern that drives the development of these systems can be summarized in two aspects: first, as pervasive computing increases, ordinary objects are becoming capable of processing and displaying data, thus the consumption of information will occur in many different contexts, which may contribute to an information overload, generating stress. The second aspect is that Design plays a major role in developing better ways to deal with this information overload. For a long time designers have been studying how to design communication systems that drive our attention, but little research has been done in exploring how to design communication systems that act upon the periphery of our attention.

In this paper four Ambient Information Systems are discussed, highlighting their characteristics and limitations. As a conclusion, the author proposes an agenda of topics that should be tackled to advance future research on this subject.

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Leia este artigo

PALESTRA

Designing for the periphery of our attention: a study on Ambient Information Systems

Presentation made at the 2010 Design Research Society Conference, in Montréal, Canada.

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Veja esta palestra

PALESTRA

Sistemas de Informação Ambiente

Apresentação feita durante o 4º Congresso Internacional de Design da Informação, Rio de Janeiro.

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Veja esta palestra