quinta-feira, 11 de outubro de 2007

Norberto Chaves

O ponto alto do o 3º Congresso Internacional de Design da Informação foi a palestra de Norberto Chaves, no encerramento do evento, no dia 10 de outubro de 2007. Falando do crescimento acelerado no consumo de informação, e da consequente diminuição da capacidade de transformar o excesso de informação em conhecimento, Norberto deu uma visão mais abrangente do que é trabalhar com informação atualmente, dando destaque à comunicação como persuasão – com um enfoque muito distinto do que é dado pela publicidade.

Lúcido, e ao mesmo tempo apaixonado, ao final da palestra o consultor de comunicação estratégica deu lugar ao professor, ao falar sobre o papel da universidade em relação ao mercado. Essa é uma questão recorrente no meio acadêmico: qual o papel da universidade? Preparar os estudantes para o mercado? Formar cidadãos críticos? Na verdade, não são papeis excludentes, mas complementares. É claro que se prepara para o mercado, mas isso não quer dizer que não se promova uma reflexão e crítica sobre esse mercado, sobre a sociedade, e especialmente, que se pensem alternativas para o estado atual da sociedade de consumo. Que se formem profissionais “úteis, mas livres”.

Aos que dizem que o nosso trabalho teria pouca possibilidade de mudar o rumo das coisas, Norberto Chaves deixou uma imagem belíssima. Falou da complexidade e beleza de uma orquestra sinfônica, na qual diversos instrumentos trabalham em conjunto para produzir uma harmonia perfeita. Mesmo no meio de tantos instrumentos, é possível distinguir o simples toque de um sino, e apesar de seu papel singelo, esse sino faz diferença na criação da música harmonicamente perfeita.

1 comentário
Categorias:
permalink

1 comentário

  1. Norberto Chaves é o cara. Queria ter visto isso isso.

    Quanto ao sendo comum da “pouca possibilidade de mudar o rumo das coisas”, sabemos que as coisas estão rumando (e portanto mudando) o tempo todo. Parto do princípio de que, se alguém existe, está necessariamente participando da contrução da realidade, esteja esse alguém consciente disso ou não.

    Ricardo Gomes
    terça-feira, 16 de outubro de 2007
    7:34
    permalink

Fique à vontade, faça o seu comentário!




Seu comentário: