terça-feira, 14 de agosto de 2007

O Orkut e o “projeto centrado no usuário”

Quem trabalha com design ouve muito a respeito de “projetos centrados no usuário”, especialmente no campo de design para web. Da teoria à prática, muitas vezes a distância é grande. Mas é interessante perceber que nem sempre é necessário tanto esforço ou investimento para tornar os sites mais adequados para as pessoas que de fato usam seus serviços. Muitas vezes pequenas alterações podem ser feitas e melhorar bastante a vida dos internautas. Mas, como saber que alterações devem ser feitas? A resposta parece óbvia…observando o comportamento dos usuários!

O Orkut, provavelmente o site de relacionamentos mais utilizado aqui no Brasil, tem feito isto de maneira inteligente. A partir das estatísticas que apontam as funções mais utilizadas, dos pedidos feitos no seu help-center, a equipe que desenvolve o Orkut tem feito pequenas alterações que mudam minimamente a interface e o produto ao longo do tempo, e que sem dúvida trouxeram melhorias na experiência de usar o Orkut.

Dois exemplos disso, que me parecem estar diretamente relacionados não às idéias e “sacações” dos projetistas, mas às necessidades dos usuários, expressas pelo uso que fizeram do produto: o link de reply, visível em cada mensagem deixada no scrapbook, e a função de exibir ou não a relação de pessoas que visitaram sua página (e da mesma forma, de deixar que as pessoas saibam que você visitou suas páginas).

Me despertou muita atenção a popularização do Orkut no Brasil. Lembro quando vi pela primeira vez este site de relacionamentos, quando estava envolvido com um projeto semelhante na empresa em que trabalhava. Naquele tempo já havia alguns produtos do mesmo tipo, como o Friendster, mas curiosamente quem vingou por aqui foi o Orkut. Hoje o Orkut é praticamente “brasileiro”, de tantos internautas deste país usando o site americano. É difícil dizer qual a influência que nossa cultura teve no desenvolvimento do Orkut, mas o fato é que os brasileiros usam de maneira singular este site.

Por aqui, duas funções principais parecem ter se destacado: bisbilhotar a vida alheia e usar o scrapbook para troca de mensagens. É impressionante como o scrapbook, cujo próprio nome indica uma função pouco nobre (um espaço para anotações, rascunhos), tranformou-se praticamente em uma ferramenta de email. Já ouvi pessoas dizendo que preferem usar o Orkut para mandar emails, porque sentem maior proximidade com as pessoas pelo simples fato de ter a foto ao lado da mensagem, sem se importar com o fato de que as mensagens podem ser lidas por qualquer um.

Provavelmente por conta desse hábito ter se mostrado intenso, ao longo do tempo foi inserido o link para “responder” a mensagem deixada em seu scrapbook. Antes, era necessário entrar na página de quem enviou a mensagem, abrir o seu scrapbook e só então deixar uma resposta. O link de reply facilitou bastante essa ação! Quem sabe no futuro haverá um link para encaminhar os scraps para outras pessoas? ;-)

Outro uso comum é “bisbilhotar” a vida alheia. Assim, ao longo do tempo o Orkut passou a apresentar a relação de pessoas que visitaram sua página – desde que você também permita que as pessoas saibam que você visitou a página delas. Para os mais xeretas, existe a opção de fazer visitas sem deixar rastros – o que, por sua vez, faz com que seja impossível saber quem visitou a sua própria página!

Essas duas funções, aparentemente simples, não faziam parte das primeiras versões do Orkut. Sem dados que confirmem minha hipótese, tudo não passa de especulação, mas me parece bastante provável que essas mudanças tenham surgido a partir da observação de como o Orkut vinha sendo usado.

Algumas pistas que podem reforçar minha hipótese estão presentes no no blog oficial do Orkut. Em alguns posts os desenvolvedores dizem explicitamente que determinadas funções foram implementadas a partir de pedidos dos usuários, e outras pela observação da maneira como o site vinha sendo usado. Um exemplo recente disso está no post Spice up your Scraps!, do qual reproduzo um trecho abaixo:

Sending scraps to friends has always been the most popular way to stay in touch on orkut. Despite having only colored text and smilies to play with, you have gotten creative and left some pretty impressive ASCII art in each other’s scrapbooks over the past few years. So, we’ve listened to your requests: and over the next week we’re rolling out a feature that will let you to express yourself by leaving rich content scraps for your friends.

Ao observar o hábito de deixar mensagens com desenhos feitos em ASCII nos scrapbooks, os desenvolvedores resolveram criar uma nova função para tornar as mensagens mais “carregadas” graficamente.

Este é um exemplo a ser seguido: fique de olho nos usuários, eles podem dar grandes idéias para melhorar seu produto. E nem sempre isso demanda testes complexos, altos investimentos e mudanças de grande porte; análise de estatísticas, observação atenta ao uso natural que se faz do site podem indicar as mudanças necessárias. Pequenos ajustes podem facilitar muito a vida de quem usa seu site!

3 comentários
Categorias:
permalink

3 comentários

  1. Sinceramente, acho que o orkut é o mais atrasado sistema de social networking. Demoraram muuuuuuuuito tempo p/ apresentar as mudanças de que você falou.
    Enquanto isso, o Facebook, que é muito mais recente, já foi muito além. Só de abrir o aplicativo p/ que os usuários juntem seus outros sistemas sociais num lugar só, já acertaram a mão. Tudo fica muito mais divertido e agradável. Meus amigos e eu discutimos muito sobre design no facebook e graças as facilidades que ele traz, como linkar vídeos do youtube ou previews de sites p/ comparação sem precisar editar código.

    Sugiro que teste o facebook e faça um comparativo de quem deu mais atenção ao que os usuários fazem e querem.

    Robson Sobral
    quarta-feira, 15 de agosto de 2007
    14:58
    permalink
  2. Cara, então… A princípio, é claro que essa idéia de “follow your user” é boa, mas tem complicações.

    Pega a história do scrap, por exemplo… Beleza, os usuários usam muito o scrap que originalmente era pensado pra ser uma coisa completamente diferente. Mas fazer um reply diretamente no scrap – usando ajax até – faz com que você não entre nos scraps alheios, e portanto a alavanca mestra da fofoca fica diminuída.

    Talvez simplesmente colocar um link pro scrapbook alheio ao invés daquele mecanismo muito mais complicado de responder a partir do seu scrapbook fosse muito mais de acordo com o verdadeiro uso — a verdadeira diferença entre um scrap e um sistema de mensagens (que inclusive existe no orkut) é justamente essa natureza “semipública”. A falta de uma função reply talvez fosse a maior qualidade.

    Ou seja, pegar uma estatística e transformá-la numa diretiva de projeto SEMPRE depende da interpretação. E não existe “interpretar” sem ser a partir do próprio ponto de vista…

    O caso do orkut é especialmente interessante, porque o que tá em jogo são relações etnológicas, antropológicas — e essas são, quase que por definição, as mais difíceis de entender “pelo ponto de vista do outro” (vide etnocentrismo)…

    Robson Sobral: mas o cara não tava falando P.N. de bem do Orkut, ele não falou que era nem bom nem ruim, nem que era pior ou melhor que o FaceBook, ele falou da proposta deles de desenvolver de acordo com o que os usuários querem e não de acordo com as idéia dos desenvolvedores!

    Marcio Rocha Pereira
    segunda-feira, 27 de agosto de 2007
    22:58
    permalink
  3. Tbm não quis defender um ou outro. Sugeri que ele testasse o FaceBook p/ experimentar esse avanço em direção ao que os usuáriso querem numa proporção bem maior. Apenas isso.
    Abraço!

    Robson Sobral
    sábado, 15 de setembro de 2007
    14:56
    permalink

Fique à vontade, faça o seu comentário!




Seu comentário: