quarta-feira, 30 de maio de 2007

Pervasividade + Ubiqüidade + Microsoft Surface

Pra quem ainda não sabe, estou finalmente fazendo doutorado. O tema da pesquisa é ubiqüidade computacional / pervasividade computacional. E pra quem nunca ouviu falar disso, é mais simples do que parece…basta pensar em computadores integrados a diversos objetos (de peças de roupa até as paredes da casa), integrados ao ambiente, se comunicando o tempo todo. Um ambiente “inteligente” que permitiria uma série de ações sem necessariamente estarmos “presos” a uma cadeira.

Esse assunto é relativamente antigo. Remonta à década de 80; o pessoal do Xerox-Parc começou essa linha de pesquisa (Ubiquitous computing). Os textos da época são inspiradores. A questão central é facilitar o uso da tecnologia. Esses ambientes inteligentes, com computadores integrados aos objetos, seriam tão simples de usar que não demandariam tanta atenção de nossa parte, como ocorre com os computadores de hoje em dia (desktops, celulares, palms etc.)

Mas de lá para cá, muita coisa aconteceu. A internet, as redes, a comunicação sem fios, GPS, a evolução natural das interfaces…uma série de invenções que caminham para realização desse meio-ambiente interconectado, online e que permitirá interações em movimento.

Essa semana vi uma aplicação interessante desses princípios – integração do computador em outros objetos, consequentemente o fim do modelo de computador tipo desktop, comunicação entre dispositivos de maneira transparente.

Ninguém menos do que a Microsoft irá lançar, até o final do ano, o Microsoft Surface, um computador com aparência de uma mesa, que pode ser manipulado pelo sistema Multi-touch screen – já visto na apresentação do Jeff Han, no TED de 2006 e no lançamento do iPhone – e que trabalha com um sistema inteligente de reconhecimento e comunicação com outros dispositivos sem fio. Sincronização de dados sem maiores dores de cabeça (assim promete a propaganda). Só falta integrar com RFID!

Microsoft Surface  Microsoft Surface  Microsoft Surface

Vale uma olhada na matéria e no vídeo da Popular Mechanics.

4 comentários
Categorias:
permalink

4 comentários

  1. To vendo que o doutorado j á está caminhando a todo vapor, hein. Bacana! Andei tirando uma poeira do meu blog. Dá um pulo .

    Ricardo Gomes
    segunda-feira, 9 de julho de 2007
    21:16
    permalink
  2. Pelo jeito alguns computadores não estão satisfeitos em perder seu espaço para esses novos aparelhos tão ubíquos e pervasivos:
    http://jealouscomputers.com/

    C. Pereira. Jr.
    terça-feira, 31 de julho de 2007
    15:56
    permalink
  3. Bah, não imaginava que a idéia já vinha sendo pensada desde os anos 80. Mas isso pelo meu ver é uma tendência natural, agora com o IPv6, onde promete ter um ip fixo real para desde servidores até as meias que iremos usar, isso cada vez se torna mais fácil, facilidades e tecnologia não falta.

    Está faltando apenas fazer algo viável e simples.

    Bom Post.

    Guilherme
    quinta-feira, 22 de abril de 2010
    21:37
    permalink
  4. BloGuInfo » Sistemas pervasivos e ubíquos
    quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011
    1:10
    permalink

Fique à vontade, faça o seu comentário!




Seu comentário: