domingo, 27 de maio de 2007

Ainda sobre a CEDAE (como rende!)

Para minha surpresa, a polêmica da CEDAE ainda rende “frutos” (nem sempre saborosos). Recebi por email uma carta da Agência 3, que esteve envolvida na “finalização”(?) da marca.

O curioso é que lendo a carta da designer da CEDAE, Elza Suzuki, e a carta do diretor de criação da Agência 3, fiquei com uma pulga atrás da orelha.

A designer da CEDAE diz que:

a procura por uma solução gráfica consistente, assim como a resolução de eventuais problemas construtivos da nova logomarca, vem sendo desenvolvida de forma totalmente profissional. Não apenas por mim […]mas também, neste processo de desenvolvimento da nova logomarca, com o suporte da equipe da Agência 3[…]

Já a Agência 3 diz o seguinte:

A CEDAE pediu que a Agência3 apenas finalizasse o logotipo obedecendo as especificações técnicas. Não competia à Agência3 qualquer interferência no logotipo criado, tampouco interferir no critério que o elegeu vencedor.

Parece que ninguém quer assumir a completa responsabilidade pelo patinho feio!

Convido-os à leitura da carta da Agência 3.

Essa história já deu o que tinha que dar, não acham?

2 comentários
Categorias:
permalink

2 comentários

  1. Pior ainda foi a UFP ano passado que armou um concurso de criação da marca, milhares de designers participaram, mas foi cancelado porque os mais ou quase 4000 desenhos nenhum foi satisfatório. Bha????!!!

    Cláudia Costa
    sexta-feira, 5 de outubro de 2007
    10:49
    permalink
  2. Opa, sem querer colocar mais lenha na fogueira ou dar folêgo à discussão, mais de um ano depois, apenas quero deixar minha total concordância com que você relatou.

    A CEDAE parece querer dizer ao mundo que vai descer pelo ralo.

    Mas não me espanta, acredito que seja cultural, mas no Brasil, mesmo em empresas com uma equipe enorme de Designers, marcas são literalmente cuspidas, sem qualquer cuidado com os fatores subjetivos e objetivos que uma marca deve representar.

    Acrescento ainda que acredito que isso se torne ainda pior, há pouco concluí minha formação acadêmica como designer, apesar de já estar atuando há alguns bons anos, e me espanto com a péssima qualidade dos cursos e mais, com tamanho despreparo das instituições de ensino de design.

    Aproveito para dizer que não creio ser necessário formação acadêmica, mas acredito muito na auto-formação, no estudo incessante em busca de maiores e melhores conhecimentos. Agradeço a sorte de ser filho de designers, que mesmo antes que eu iniciasse a faculdade, me ensinaram, muito mais que a acadêmia conseguiu ensinar.

    Rafael Apocalypse
    sexta-feira, 12 de setembro de 2008
    15:19
    permalink

Fique à vontade, faça o seu comentário!




Seu comentário: